domingo, 7 de fevereiro de 2010

As pérolas e as azeitonas


O que haveria de incomum entre duas coisas tão distintas? Qual a lição haveriam de nos passar?



O cultivo das azeitonas na desde a Grécia Antiga proporciona alimento que compoẽm a famosa dieta do meditarrâneo que muito tem se comentado dos benefícios a saúde. Para sua produção, são aplicadas várias práticas dentre elas uma muito curiosa... uma certa época do ano onde os frutos diminuem em volume e quantidade, os cultivadores "agridem" literalmente a planta, diminuindo a quantidade de folhas como se faz com o café aqui no Brasil a época da colheita. A planta de origem milenar, floresce atraindo polinizadores que formarão o fruto, ou seja, a azeitona. Por fim do período de maturação do fruto, caem os mais maduros semeando o redor da "planta mãe" originando novas  que crescerão frondosas, com isso protegendo a genitora.

A lição (ou as lições) que este capítulo particular da natureza nos ensina são relativas aos sofrimentos ocorridos durante nossa existência neste plano, pois com eles podemos gerar frutos maravilhosos que nos fortaleceram quando da época da nova colheita. As expiações (segundo Houaiss: purificação de crimes ou faltas cometidas) são necessárias ao nosso refazimento, por conta disso devemos suportar as dificuldades com bravura, tendo sempre em mente que o Pai não entrega serpentes ou pedras aos filhos famintos e nos provê de tudo que nos é necessário a evolução do espírito.

Bom... e as pérolas? Vi num blog de um amigo a mensagem que fala sobre elas e decidi mencionar aqui, mas peço para que acessem no endereço abaixo para que a mensagem não seja copiada e sim divulgada.


Abraços fraternais a todos.

0 comentários:

Tirinhas da Mariana

Tirinhas do Cabeça Oca