domingo, 31 de janeiro de 2010

A divulgação do Espiritismo e a sua importância


Allan Kardec
Originally uploaded by Espiritismo 2009.
Este ano de 2010 promete grandes colaborações para com a divulgação da Doutrina dos Espíritos, esta que tem como codificador Allan Kardec, e como adeptos nós espíritistas ou simplesmente espíritas (não confundir com espiritualistas(*)) onde serão apresentadas duas obras de grande valor:

- Chico Xavier
(com lançamento previsto para meados de abril 2010)

- Nosso Lar
(que iniciará as filmagens em janeiro de 2010)

Mas não podemos esquecer das obras anteriores, também de grande valor tanto para a televisão (ex: as novelas A Viagem e Almas Gêmeas), quanto para o cinema (ex: As cartas de Chico e Bezerra de Menezes - Diário de um espírito), que tiveram grande sucesso entre os seguidores da Doutrina Espírita e nossos simpatizantes.

Iniciativas como essas são muito interessantes, pois ainda hoje, (mais de 152 anos de sua divulgação(**)), parte da sociedade ainda desconhece as diferenças entre as doutrinas, causando até mesmo algum desconforto para aqueles menos seguros ou convictos das benesses de seus ensinamentos.

Constrangimento que poderia ser classificado como racismo segundo as leis brasileiras (***), mas deixando de lado as implicações legais, vale relembrar o triplice aspecto da Doutrina que nos faz racionalizar sobre os fenomenos e compreender melhor a grande obra do Mestre Jesus.

O espiritismo apresenta-se com características e comprovações científicas o que os demais seguimentos religiosos ainda não alcançam, informando e confortando nas horas das expiações.

Por isso (e muito mais) vale sempre relembrar as palavras de Emmanuel:

"A MAIOR CARIDADE QUE PODEMOS FAZER PELA DOUTRINA ESPÍRITA É A SUA DIVULGAÇÃO."

Logo, segue abaixo alguns vídeos que fazem referência a Doutrina:

Novela: A Viagem - Diná e Otávio se reencontram em Nosso Lar.

Teatro: Família, Prá Quê? (Grupo de Teatro Espiríta Monteiro Lobato)

Cinema: Bezerra de Menezes - Diário de um espírito

Cinema: Chico Xavier - Trailer do Filme (lançamento previsto para 2010)

Cinema: Nosso Lar - Trailer do Filme (lançamento previsto para 2010)

Veja a notícia das filmagens do "Nosso Lar" na Internet:

(*) Veja mais sobre Espiritualismo em:

(**) Veja mais sobre o Livro dos Espíritos em:

(***) Veja mais sobre Racismo em:

Um abraço fraternal a todos.

Sementeira


Bom dia, broto do dia!
Originally uploaded by Nilza Bellini.
Abre-se a floresta até antão intransitável e densa.

Definem-se dificuldades, pântanos, espinheiros...

O semeador, porém, não se confia ao desânimo.

Traça Planos.
Ataca o serviço.
Realiza o milagre.

De início, é o desbravar.

Em seguida, surgem os imperativos de preparação do solo e de seleção dos recursos.

A cova minúscula e escura recebe a semente pequenina, que perde os envoltórios com a colaboração do tempo.

Só então, é possível a promessa do grelo tenro.

Todavia, não param aí os desvelos e as vigílias do semeador.

Hoje, é necessário proteger a plantinha frágil contra o esmagamento; amanhã, é imprescindível furta-la ao assédio dos vermes destruidores.

Agora, pede a lavoura iniciante adequada medida contra a canícula rigorosa; depois, reclama providências que a salvem do aguaceiro.

A fronde, a flor e o fruto representam, no entanto, o precioso prêmio.

Assim também, é a sementeira espiritual.

Nas profundezas da mente inculta caem os princípios da Divina Sabedoria.

Ninguém exija, contudo, o resultado absoluto num instante.

Quantos séculos teremos dispendido, na formação da selva de nossos instintos e de nossos caprichos obscuros?

O serviço de adaptação e educação reclama tempo e paciência para que a colheita do conhecimento e do amor, em cada alma, enriqueça os celeiros da Terra.

Não esperemos que o nosso companheiro de experiência nos ofereça a perfeição impraticável de um momento para outro.

Se procuramos o Cristo, gravemos as lições dEle, em nós mesmos, antes de impô-las aos semelhantes.

Adubemos o solo dos corações com a luz do bom exemplo, com a bênção da fraternidade, com flor do estímulo e com o silêncio da compreensão.

Não firamos, onde não possamos auxiliar.

O Sol resplandece sem palavras, curando as chagas do Planeta.

A fonte rola contando, sem acusações, colada ao dorso da Terra.

O vento fecunda a natureza, sem exigências.

Amemos sempre.

O coração que se devota à fraternidade não usa o poder do verbo para denegrir ou dilacerar.

Passemos auxiliando.

Compadeçamo-nos do cardo que ainda conserva aguçados acúleos.

Compadeçamo-nos das ervas envenenadas, que ainda não conseguiram modificar a própria seiva.

Compadeçamo-nos das árvores infelizes, cujos galhos ressecaram pela pobreza do ambiente em que nasceram.

A senda é longa.

A romagem solicita o esforço das horas incessantes.

Sigamos improvisando o bem, por onde passarmos.

Guarde a nossa luta a sublime experiência do semeador.

Compreendamos o cipoal, auxiliemos o chão duro do destino e aproveitemos a lama da estrada para o bem geral, projetando na terra das almas as sementes benditas que o Mestre nos confiou.

E, esperemos o tempo, de vez que o tempo é o patrimônio da Divina bondade que na esteira dos dias, dos anos e dos séculos, nos oferecerá sempre à colheita de nossa vida, segundo as nossas próprias obras.

pelo Espírito André Luiz - Do livro: Doutrina e Aplicação, Médium: Francisco Cândido Xavier.

Fonte: Caminhos de Luz

domingo, 24 de janeiro de 2010

Tomadas de força


Tomada
Originally uploaded by Cananéa.

Partindo da certeza de que toda atitude é suscetível de ser imitada, compreendamos que o contágio da violência, em muitos casos, pode ser evitado, se não lhe oferecermos determinados pontos de ligação.


Os pontos a que nos referimos são de caracteres diversos, tais quais sejam:

Gritos inúteis.
Brincadeiras de mau gosto.
Reclamações agressivas.
Idéias de ódio.
Intolerância em casa.
Descortesias na rua.
Gestos de vingança.
Comentários infelizes.
Respostas deprimentes.
Perguntas sem necessidade.
Críticas.
Palavrões.
Ironias.
Azedume.
Cólera.
Impaciência.

Observamos que a energia elétrica, quase sempre, se aplica através de tomadas e convencemo-nos de que a força mental funciona, também, assim.

pelo Espírito Emmanuel - Do livro: Paz, Médium: Francisco Cândido Xavier

sábado, 23 de janeiro de 2010

Obter e pagar



Originally uploaded by Marooned.
Pede a graça da saúde, mas não te esqueças da própria defesa contra a enfermidade.

Roga a favor da luz, todavia, não permaneças na sombra.

Solicita o facho da esperança, contudo, aprende a cultivar a serenidade, a fim de que te não arrojes aos precipícios do desespero.

Pede a bênção da coragem, mas preserva-te contra o desânimo.

Roga a realização dos próprios desejos, entretanto, procura adaptar-te à Vontade Divina.

Solicita o concretização dos ideais superiores que te nutrem na Terra, mas busca agir sem apego, para que não te enamores das próprias obras que pertencem, no fundo, à Criação Divina.

Pede a graça da iniciação na fé viva, no entanto, capacita-te de que é necessário perseverar na confiança, para que a ventania das perturbações humanas não te apaguem a candeia da boa vontade.

Roga a concessão de recursos materiais para a solução dos problemas que te afligem no mundo, mas, não te esqueças de aprender a gastar com equilíbrio e respeito sem te precipitares em débitos insolúveis.

Solicita a alegria do amor, através dos entes queridos que te rodeiam na existência, no entanto, reconheça que a felicidade dos amigos é diferente da tua, para que te não convertas em tirano do círculo afetivo.

Tudo na vida é permuta, colaboração, experiência e o nosso trabalho é sempre um contrato entre o Senhor e nós outros, na execução do qual precisamos receber para dar e dar para receber.

A providência nos concede as mais ricas possibilidades em todos os setores da jornada evolutiva, entretanto, a Lei exige a nossa quota de contribuição.

“Pedi e obtereis” – ensinou o Divino Mestre. Não nos esqueçamos, porém, de que todas as criaturas e de que todas as cousas são importantes no Universo e que poderemos tudo receber, mas para tudo pagar hoje ou amanhã.

pelo Espírito Emmanuel - Do livro: Assim Vencerás, Médium: Francisco Cândido Xavier

Pinga Fogo 1971 Viver em outros planetas

Ainda falando sobre mudanças que ocorrerão no nosso orbe, encontramos este vídeo do Programa Pinga Fogo de 1971, onde o próprio Chico explica das possibilidades em outros orbes.

A transição do mundo de provas e expiações para o mundo de renovação


2012 Soundtrack
Originally uploaded by carlosjtj.

Em entrevista com André Luiz Ruiz no programa Transição da Rede TV, sobre o assunto do momento - As transformações do mundo e a transição de mundo de provas e espiações para renovação - Final dos tempos e o Filme 2012.

Considerações interessantes sobre estes assuntos com base na Doutrina Espírita de Allan Kardec e aos acontecimentos que não são divulgadas na grande mídia.

É certo que muitos filmes já falaram sobre estes assuntos, mas nos servem de alerta sobre os acontecimentos atuais e o que foi mencionado os livros a Gênese no capitulo 18 e em outras obras espiritas.

Veja a entrevista gravada no programa Transição veiculado na Rede TV aos domingos as 15:00 hs.












Links para sites do André Luiz Ruiz

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Paciência


"Stressed Out"
Originally uploaded by * Nina *.

Por Teilhard de Chardin.

"Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados... muita gente iria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia. Por muito pouco a madame que parece uma "lady", solta palavrões e berros que lembram as antigas "trabalhadoras do cais", e o bem comportado executivo, "o cavalheiro", se transforma numa "besta selvagem" no trânsito que ele mesmo ajuda tumultuar.

Os filhos atrapalham, os idosos incomodam, a voz da vizinha é um tormento, o jeito do chefe é demais para sua cabeça, a esposa virou uma chata, o marido uma "mala sem alça", aquela velha amiga uma "alça sem mala", o emprego uma tortura, a escola uma chatice.

O cinema se arrasta, o teatro nem pensar, até o passeio viraram novela. Outro dia, vi um jovem reclamando que o banco dele pela Internet estava demorando a dar o saldo, eu me lembrei da fila dos bancos. Pobre de nós, meninos e meninas sem paciência, sem tempo para a vida, sem tempo para a espiritualidade, a paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a paciência sintética dos calmantes está cada vez mais em alta.

Pergunte para alguém que você saiba que é "ansioso demais", onde ele quer chegar? Qual é a finalidade de sua vida? Surpreenda-se com a falta de metas, com o vago de sua resposta.

E você? Onde quer chegar? Está correndo tanto para que? Por quem? Seu coração vai agüentar?

Se você morrer hoje de infarto agudo do miocárdio o mundo vai parar? A empresa que você trabalha vai acabar? As pessoas que você ama vão parar?

Será que você conseguiu ler até aqui?

Respire...Acalme-se... O mundo está apenas na sua primeira volta e com certeza, no final do dia vai completar o seu giro ao redor do sol, com ou sem a sua paciência".

"NÃO SOMOS SERES HUMANOS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA ESPIRITUAL... SOMOS SERES ESPIRITUAIS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA HUMANA...".

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Materializacao de Espiritos

Fenômeno mediúnico de efeitos físicos


(Espírito materializado Katie King, junto ao cientista Sir William Crookes)

As ações desenvolvidas pelos efeitos dessa mediunidade afetam o ambiente material e, por isso, são denominados de efeitos físicos. Os fenômenos de efeitos físicos resultam da ação dos espíritos sobre os fluidos até chegar a produzir resultados perceptíveis no mundo material. Os efeitos dessa mediunidade são percebidos por qualquer pessoa que os possa presenciar.

O efeito físico é o resultado da combinação dos fluidos do espírito, do o ectoplasma do médium e os fluidos do ambiente. Com esses três elementos o espírito gera o fenômeno, o anima e controla pelo pensamento.

Fluidos
André Luiz, no livro Domínios da Mediunidade, afirma que o fluido é um material leve e plástico, necessário para a materialização. Podemos dividi-lo em três elementos essenciais: fluidos A, representando as forças superiores e sutis da esfera espiritual (são, geralmente, os mais puros); fluidos B, nascidos da atuação dos companheiros encarnados e, muito notadamente, do médium; e fluidos C, constituindo energias tomadas à Natureza terrestre (são os mais dóceis).

Os Espíritos agem sobre os fluidos, intencionalmente ou não, conforme o esclarecimento e a evolução.

As formações fluídicas são geradas pelo pensamento e dependem da capacidade de cada um ter mais ou menos potencialidade de criar formas através da manipulação de fluidos.

Podem aglomerar, dirigir, modificar e até combinar entre si para obter resultados ou conferir-lhes propriedades.

É assim que, no campo espiritual, as “coisas” são plasmadas (formadas).


Materialização (ou Ectoplasmia)

Fenômeno pelo qual os espíritos constroem algo material (objeto ou corpo) a partir da manipulação do ectoplasma, em combinação com os fluidos do ambiente e do espírito.

Para que o fenômeno de materialização de espíritos aconteça, é necessário a presença do médium de efeitos físicos e a presença de um componente especial denominado de ectoplasma.

Chama-se de médium de efeito físico aquele que tem a faculdade que permite ceder ectoplasma em quantidade suficiente para possibilitar aos espíritos o seu uso em combinação com outros fluidos (os do espírito e do ambiente), visando produzir ações e resultados sobre o mundo material.

O Ectoplasma

O ectoplasma é uma substância que se acredita que seja força nervosa e tem propriedades de interagir com o mundo físico. É um elemento amorfo, mas de grande potência e vitalidade, servindo de alavanca para interagir os planos físicos e espiritual. Infinitamente plástico, dá forma parcial ou total às entidades que se fazem visíveis.

É uma substância delicadíssima, que se situa entre o perispírito e o corpo físico, assim como um produto de emanações da alma pelo filtro do corpo, e é recurso peculiar não somente ao homem, mas a todas as formas da Natureza.

Pode ser usado pelo ser humano para liberá-lo, produzindo vários fenômenos. É de difícil manipulação, exige treinamento e técnicas para que os espíritos possam se utilizar desse fluido.

O médium em transe fornece o ectoplasma necessário para o fenômeno. O ectoplasma flui para fora do corpo do médium pelos orifícios naturais do organismo humano. Os espíritos combinam este ectoplasma com os fluidos retirados do ambiente (plantas, animais etc) e moldam as formas e os corpos desejados.

No processo de materialização, o corpo físico do médium, prostrado, sob o domínio dos técnicos do plano espiritual, expele o ectoplasma, qual pasta flexível, à maneira de uma geléia viscosa e semiliquida, através de todos os poros e, com mais abundância, pelos orifícios naturais - particularmente da boca, das narinas e dos ouvidos - com elevada percentagem a exteriorizar-se igualmente do tórax e das extremidades dos dedos.

Durante o fenômeno o médium apresenta sensível perda de peso (matéria) e sensações de frio. É desgastante e requer muito cuidado para que a experiência não afete a saúde do médium. Deve ser realizado em um ambiente escuro (a luz afeta o ectoplasma) e tranquilo, e não deve-se tocar no médium durante o transe.

Ao final da manifestação o corpo ou objeto materializado se dissolve e os seus elementos retornam aos corpos de origem.

Sugestão de livros que tratam sobre ectoplasma e materialização:

  •       Análise das Coisas - Paul Gibier
  •       A alma é Imortal- Gabriel Delane
  •       Mediunidade - J. Herculano Pires
  •       Libertação - André Luiz / Chico Xavier
  •       Pensamento e Vontade - Ernesto Bozzano
  •       Parapsicologia Hoje e Amanhã - J. Herculano Pires
  •       Curso Dinâmico de Espiritismo - J. Herculano Pires
  •       Domínios da Mediunidade - André Luiz / Chico Xavier
  •       Evolução em Dois Mundos - André Luiz / Chico Xavier
  •       Espirito, Perispírito e Alma - Hernani Guimarães Andrade

Materializacao de Meimei

Uma noite sentimos um delicioso perfume. Intimamente, achei que era o mesmo que Meimei costumava usar. Surpreendi-me quando subitamente percebi que o corredor ia se iluminando aos poucos, como se alguém caminhasse por ele portando uma lanterna. Subitamente a luminosidade extinguiu-se. Momentos depois a sala iluminou-se novamente. No centro dela havia como que uma estátua luminescente. Um véu cobria-lhe o rosto. Ergueu ambos os braços, e elegantemente, etereamente, o retirou, passando as mãos pela cabeça, fazendo cair uma linda cascata de cabelos pretos até a cintura. Era Meimei. Olhou-me, cumprimentou-me e dirigiu-se até onde eu estava sentado. Sua roupagem era de um tecido leve e transparente. Estava linda e donairosa. Levantei-me para abraçá-la e senti bater o seu coração espiritual. Beijamo-nos fraternalmente e ela acariciou meu rosto e brincou com minhas orelhas, como não podia deixar de ser. Ao elogiar sua beleza, a fragrância que emanava, a elegância dos trajes e sua tênue feminilidade, disse-me: “Ora, Meu Meimei, aqui também nos preocupamos com nossa apresentação pessoal. A ajuda aos nossos semelhantes, o trabalho fraterno faze-nos mais belos, e afinal de contas, eu sou sua mulher. Preparei-me para você, seu moço. Não iria gostar de uma Meimei feia!”


Texto de Arnaldo Rocha (viúvo de Meimei)

Trecho do livro “Chico Xavier - Mandato de Amor” (União Espírita Mineira - Belo Horizonte, 1992)

Fonte: Espírita na Net

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

O Bem mais Precioso

Conta o folclore europeu que há muitos anos atrás um rapaz e uma moça apaixonados, resolveram se casar.

Dinheiro eles quase não tinham, mas nenhum deles ligava para isso.

A confiança mútua era a esperança de um belo futuro, desde que tivessem um ao outro.

Assim, marcaram a data para se unir em corpo e alma.

Antes do casamento, porém, a moça fez um pedido ao noivo :

-- Não posso nem imaginar que um dia possamos nos separar.

Mas pode ser que com o tempo um se canse do outro, ou que você se aborreça e me mande de volta para meus pais.

-- Quero que você me prometa que, se algum dia isso acontecer, me deixará levar comigo o bem mais precioso que eu tiver então.

O noivo riu, achando bobagem o que ela dizia, mas a moça não ficou satisfeita enquanto ele não fez a promessa por escrito e assinou.

Casaram-se, decididos a melhorar de vida, ambos trabalharam muito e foram recompensados.

Cada novo sucesso os fazia mais determinados a sair da pobreza, e trabalhavam ainda mais.

E o tempo passou e o casal prosperou.

Conquistaram uma situação estável e cada vez mais confortável, e finalmente ficaram ricos.

Mudaram-se para uma ampla casa, fizeram novos amigos e se cercaram dos prazeres da riqueza.

Mas, dedicados em tempo integral aos negócios e aos compromissos sociais, pensavam mais nas coisas do que um no outro.

Discutiam sobre o que comprar, quanto gastar, como aumentar o patrimônio, mas estavam cada vez mais distanciados entre si.

Certo dia, enquanto preparavam uma festa para amigos importantes, discutiram sobre uma bobagem qualquer, e começaram a levantar a voz, a gritar, e chegaram às inevitáveis acusações.

-- Você não liga para mim! - gritou o marido

-- Só pensa em você, em roupas e jóias.

-- Pegue o que achar mais precioso, como prometi, e volte para a casa dos seus pais.

Não há motivo para continuarmos juntos.

A mulher empalideceu e encarou-o com um olhar magoado, como se acabasse de descobrir uma coisa nunca suspeitada.

-- Muito bem, disse ela baixinho. Quero mesmo ir embora.

Mas vamos ficar juntos esta noite para receber os amigos que já foram convidados.

Ele concordou.

A noite chegou. Começou a festa, com todo o luxo e a fartura que a riqueza permitia.

Alta madrugada o marido adormeceu, exausto.

Ela então fez com que o levassem com cuidado para a casa dos pais dela e o pusessem na cama.

Quando ele acordou, na manhã seguinte, não entendeu o que tinha acontecido.

Não sabia onde estava e, quando sentou-se na cama para olhar em volta, a mulher aproximou-se e disse-lhe com carinho :

-- Querido marido, você prometeu que se algum dia me mandasse embora eu poderia levar comigo o bem mais precioso que tivesse no momento.

-- Pois bem, você é e sempre será o meu bem mais precioso.

Quero você mais que tudo na vida, e nem a morte poderá nos separar.

Envolveram-se num abraço de ternura e voltaram para casa mais apaixonados do que nunca.

O egoísmo, muitas vezes, nos turva a visão e nos faz ver as coisas de forma distorcida.

Faz-nos esquecer os verdadeiros valores da vida e buscar coisas que têm valor relativo e passageiro.

Importante que, no dia-a-dia, façamos uma análise e coloquemos na balança os nossos bens mais preciosos e passemos a dar-lhes o devido valor.

Colaboração: Renato Antunes Oliveira


PASSO DE LUZ


Chico Xavier
Originally uploaded by Cαp. Plєвєu.

Nas tribulações ou discórdias que nos agravem os problemas da vida, recordemos a necessidade de certo donativo, talvez dos mais difíceis na beneficência da alma – o primeiro passo para o reajuste da harmonia e da segurança.

Isso significa para nós um tanto mais de amor, ainda mesmo quando nos vejamos ilhados no espinheiro vibratório da incompreensão.

Por vezes é o lar em tumulto reclamando a tranqüilidade, à face do desentendimento entre criaturas queridas.

Noutras circunstâncias, são companheiros respeitáveis, em conflito uns com os outros.

Em algumas situações, é o estopim curto da agressividade exagerada nesse ou naquele amigo, favorecendo a explosão violenta.

Em muitos lances do caminho é o sofrimento de algum coração brioso e nobre, mas ainda tisnado pelo orgulho a ferir-se.

Nessas horas, quando a sombra se nos estende a vida, em forma de perturbação e desafio a lutas maiores, bem-aventurados sejam todos aqueles que se decidam ao primeiro passo da benevolência e da humildade, da tolerância e do perdão, auxiliando-nos na recomposição do caminho.

Onde estiveres, com quem seja, em qualquer tempo e tanto quanto puderes, dá de ti mesmo esse acréscimo de bondade, recordando o acréscimo de misericórdia que todos recebemos de Deus, a cada trecho da vida.

Alguém nos injuria?
Suportar com mais paciência.

Aparece quem nos aflija?
Disciplinar-nos sempre mais na compreensão das lutas alheias.

Surgem prejuízos?
Trabalhar com mais vigor.

Condenações contra nós?
Abençoar e servir constantemente.

Em todas as situações, nas quais o mal entreteça desequilíbrio, tenhamos a coragem do primeiro passo, em que a serenidade e o amor, a humildade e a paciência nos garantam de novo a harmonia do Bem.

pelo Espírito Emmanuel - Do livro: Coragem, Médium: Francisco Cândido Xavier.

Esquizofrenia a Luz do Espiritismo

By Psicologia Ponto Com
Pesquisando sobre o assunto encontrei uma série de 3 vídeos interessantes que nos atualizam nas questões relativas a esquizofrenia na visão da Doutrina Espirita.


Programa veiculado na Rede TV chama-se Transição, uma produção da TV Mundo Maior e que vai ao ar todos os domingos as 15:00 hs. Segue abaixo os vídeos:






Médicos Sem Fronteiras já realizaram 500 cirurgias no Haiti


Haiti - first aid
Originally uploaded by IFRC.

Há exatamente uma semana, o Haiti vivia as últimas horas que antecediam ao maior desastre no país em 200 anos. A Terra Magazine, a diretora executiva da organização não governamental Médicos Sem Fronteiras, Simone Rocha, conta que já foram realizadas 500 cirurgias e 3 mil atendimentos após o terremoto que deixou a capital Porto Príncipe sob escombros. Mas, segundo ela, ainda restam 500 pacientes à espera de intervenções cirurgicas.

A MSF trabalha até agora com o material estocado em suas dependências para situações emergenciais e mais 135 toneladas de medicamentos que vieram em quatro aviões. Ao longo dessa semana, deve chegar um hospital inflável - com 100 leitos, dois blocos cirúrgicos e duas Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) -, cirurgiões, anestesistas e mais 195 toneladas de medicamentos.

- A grande dificuldade é a triagem no aeroporto e que à vezes desvia os nossos aviões com equipes médicas e equipamento cirúrgico, ambos extremamente necessários nesse momento. Não estamos falando em alimentar mais, ou melhor a população, estamos falando em salvar vidas das pessoas que aguardam cirurgias e que, se não receberem, podem morrer nos próximos dias em decorrência disso.

A primeira intervenção cirúrgica foi um parto. Mãe e filha sobreviveram. "É muito emocionante e significativo", diz Simone, que está no Rio de Janeiro, mas que já trabalhou pela MSF no país caribenho.

Abaixo, a diretora conta como foi o trabalho dos médicos segundos depois do tremor, como prepararam os locais para fazer as cirurgias e como têm trabalhado, "quase sem dormir, ou sem se alimentar" para salvar o máximo possível de pessoas.

Terra Magazine - Na situação atual do Haiti, como está sendo o trabalho da ONG MSF, tendo em vista que já era realizado um trabalho no país anteriormente ao terremoto?
Simone Rocha - Em primeiro, uma geral. Nós fazíamos um trabalho médico no Haiti desde 1991, mais precisamente, com um programa na capital de três hospitais de emergência. Um era de emergência pós-trauma e reabilitação pós-trauma, outro era uma maternidade que oferecia ginecologia e obstetrícia e o terceiro era um serviço de pronto-socorro. Em função disso, já tínhamos um estoque bastante importante, semelhante ao necessário numa situação de urgência. Fora isso, tínhamos um estoque ainda maior do que temos em outros países porque o Haiti é um país que, frequentemente, sofre com tragédias naturais, como tufões, furacões e etc. Então, em Porto Príncipe já havia um estoque importante do tipo de materiais necessários para situações como essa do terremoto.

E do que se trata esse estoque?
Tendas plásticas, lona plástica que serve de abrigo, geradores, água, gasolina - que é o que vai alimentar os geradores. É uma organização de emergência humanitária e, portanto, temos uma vasta experiência nisso. Isso facilitou muito o nosso processo e permitiu que começássemos a trabalhar já nas primeiras horas depois do terremoto. Então, nas primeiras horas, fizemos uma identificação do que tinha acontecido com as estruturas médicas e que saíram a pé pela capital para verificar isso. Depois disso, concluímos que as nossas estruturas estavam inutilizáveis e que esse era o caso da maioria dos hospitais da cidade.

Numa situação dessas, o que fazem?
Começamos, imediatamente, a trabalhar ao lado, ou na parte de traz das nossas estruturas, fazendo triagem dos pacientes e tentando dar conta dos casos mais graves o mais rápido possível. E, muito rapidamente, nos demos conta de que era necessária uma capacidade cirúrgica muito maior do que tínhamos ali. Já no primeiro dia, estimávamos milhares necessitando cirurgia, muitas das quais de nível complexo. A maioria era caso de amputação, como a gente sabe, mas também havia outros casos que necessitavam de fato um bloco cirúrgico e operante. Começamos a identificar locais onde poderíamos realizar essas operações. Conseguimos fazer isso num hospital no distrito Cité Soleil, que já foi dos Médicos Sem Fronteiras. Ali, estabilizamos os pacientes e operamos em dois blocos cirúrgicos.

Houve relato de casos de amputação sem anestesia...
Não nas nossas dependências.

Com essa estrutura quantas cirurgias já foram realizadas?
Foram realizados 3 mil tratamentos e aproximadamente 500 cirurgias. Faltam mais 500 serem feitas em caráter de urgência. Temos doze equipes operando contra o tempo. Temos uma equipe de 550 haitianos, 165 de staff internacional com mais 48 chegando agora nos próximos dias.

Como farão pra trazer mais medicamentos? Uma hora o estoque acaba...
Ainda estamos usando o estoque, mas já conseguimos fazer chegar a Porto Príncipe 135 toneladas, que vieram em quatro aviões de carga.

Se em hospitais em plenas condições corre-se o risco de infecções, numa situação como a que os médicos atendem em Porto Príncipe, o risco é elevadíssimo. Como evitar, ou minimizar esse tipo de situação?
Justamente por isso que é muito importante que montemos os blocos cirúrgicos e que as pessoas todas possam ser operadas em condições ideais, ou o mais próximo possível disso. É justamente isso que estamos tentando fazer. Inclusive enviamos um hospital inflável com capacidade de 100 leitos.

Hospital inflável?
Isso, um hospital re-al-men-te in-flá-vel. São duas tendas enormes, de 100 metros quadrados cada uma e dentro dele tem dois blocos operatórios, duas Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) e capacidade para 100 leitos. Era para o hospital ter chegado no sábado, mas na hora do pouso do avião, com o hospital dentro, as autoridades o desviaram para Santo Domingo. Isto está atrasando em 48 horas a chegada desse hospital e isso é grave para nós.

Numa situação como essa, com corpos em putrefação pela cidade afora, pessoas submetidas a condições zero de higiene, sem alimentação e água, o risco de epidemias tomarem conta da capital é altíssimo...
É muito importante que as pessoas recebam tanto abrigo e alimentação quanto cuidados médicos. Se esses três elementos são oferecidos, já é diminuída amplamente a possibilidade de que adoeçam. Ou seja, as epidemias serão menos frequentes. Quanto à questão dos corpos, a natureza das mortes em Porto Príncipe é o trauma, então não é o corpo em si que pode causar epidemias. Um corpo em putrefação de uma pessoa que morreu com um traumatismo é completamente diferente do corpo de quem morre de cólera. Mas mesmo assim, devem ser retirados os corpos, é claro.

A ajuda é suficiente?
A grande dificuldade é a triagem no aeroporto e que à vezes desvia os nossos aviões com equipes médicas e equipamento cirúrgico, ambos extremamente necessários nesse momento. Não estamos falando em alimentar mais, ou melhor a população, estamos falando em salvar vidas das pessoas que aguardam cirurgias e que, se não receberem, podem morrer nos próximos dias em decorrência disso.

Quantos aviões foram desviados do aeroporto?
Dois aviões.

Um problema apontado é a ausência de água potável. Porto Príncipe sempre se caracterizou por ser uma cidade que enfrenta esse tipo de problema, agora agravado com o terremoto. Vocês já tinham um sistema próprio de tratamento?
A gente sempre tem. Como somos uma organização de saúde, sabemos que sem água é impossível trabalhar. Portanto, essa é uma das nossas primeiras preocupações. Sempre. Em Porto Príncipe já tínhamos um sistema de abastecimento. Trabalhávamos com caminhões pipa e alguns deles estão sendo usados agora. Mas já existia um sistema de busca e tratamento de água. Usamos o cloro para fazer isso.

Como é a relação da MSF e outras entidades no Haiti?
Nesse momento, estamos cuidando de fazer o máximo para trabalhar contra o tempo. As equipes estão trabalhando com pouquíssimas horas de sono e tempo para se alimentar. Então, realmente sobra muito pouco tempo para troca de informação. Eu imagino que as equipes de lá estejam certamente em contato com as pessoas que controlam o aeroporto, por exemplo, e com tudo aquilo que interfere diretamente do trabalho realizado.

Quantas pessoas chegaram a falecer nas dependências dos MSF? E o que é mais importante para evitar que isso aconteça?
Não tenho esse dado ainda. Para nós, é muito importante ampliar nossa capacidade cirúrgica. Tem mais 195 toneladas de medicamentos, mais cirurgiões, mais anestesistas e mais seis aviões programados para chegar ao longo dessa semana. É muito importante que tenhamos acesso a esses recursos que estamos enviando o mais rápido possível.

Claro...
Em meio a tantas coisas tristes, estamos fazendo partos. Olha, a primeira cirurgia que fizemos depois do terremoto, foi um parto complicadíssimo. Salvamos mãe e filho. É emocionante e muito significativo.

Fonte: Terra Magazine

Do Haiti, presidente da Viva Rio nega surto de violência




Presidente da organização não governamental Viva Rio, Rubem César está em Cité Soleil, distrito de Porto Príncipe, capital haitiana sob escombros. A Terra Magazine, ele desmente existir cenário violento uma semana após o terremoto que já enterrou 70 mil. Segundo ele, está dentro do previsto Terra em situações como esta.

- Não há nada aqui que não seja facilmente comparável a como ficou Nova Orleans (EUA) depois do furacão Katrina (em 2005) - compara.

"As pessoas estão se organizando. Já tem até um mercadinho aqui. Comprei pão e comida. Há um clima de respeito", comemora e destaca que a ausência de dinheiro em espécie é um limitador maior do que imaginava: "Com dinheiro, conseguiríamos estimular trabalho. Só a quantidade de entulhos aqui, nossa, geraria muito trabalho retirá-los daqui".

Segundo Rubem, há boas notícias. Enquanto concedia esta entrevista, chegaram dez caminhões com mantimentos, tendas e um carro da República Dominicana e Noruega. "Os brasileiros poderiam se mobilizar mais para fazer o mesmo", ressalta.

Neste momento, a Viva Rio abriga 1.600 pessoas. Mas, segundo o presidente, acabaram assumindo o cuidado das tendas que estão nos arredores, ou seja, "multiplica esse valor por dez", estima.

Confira abaixo a íntegra da entrevista:

Terra Magazine - Como está a situação aí?
Rubem César - Acho que a imprensa mundial está fazendo um desserviço porque está pintando um quadro de violência que não é verdadeiro. Nada que não seja facilmente comparável a como ficou Nova Orleans depois do furacão Katrina, por exemplo. Estou o tempo todo na área mais pobre e mais afetada da cidade, que é Cité Soleil, e, em nenhum segundo, enfrentamos esses problemas.

Que problemas enfrentam, então?
Logística e organização. Temos um campo de desabrigados aqui. As pessoas estão se organizando. Já tem até um mercadinho aqui. Comprei pão e comida. Há um clima de respeito, uma coisa muito diferente do que noticiam. Ficamos recebendo emails de familiares apavorados com as notícias de violência. Mas tenho uma boa notícia...

Qual?
Nós estamos recebendo dez caminhões de doações da Noruega e da República Dominicana, com tendas, alimentos, equipamentos de purificação de água, um carro, muita coisa. São caminhões enormes, ouça o barulho deles chegando, estão chegando agora... Que maravilha! Olha, é muito importante que as doações aí no Brasil também cresçam para que mostremos nossa solidariedade para com a população daqui.

De onde vêm esses caminhões?
São caminhões que vêm da Noruega pra gente. Não chegou nenhum do Brasil. Montamos um esquema e vieram. Eles desembarcam na República Domenicana e viajam para cá. Isso é possível. Chegaram doações brasileiras para o Exército, o que já é muito bom também. Eles nos deram água, muito importante. Mas tem o caminho da sociedade, que pode aumentar seu trabalho de doações. O governo brasileiro e o Exército estão trabalhando duro. Quanto mais doações, melhor.

O senhor fala da sociedade brasileira?
Tem o governo, mas a sociedade poderia se mobilizar mais.

Qual é o principal desafio?
O principal desafio agora é trabalho. Precisamos de doações, claro, mas o que é necessário mesmo é que essa população possa trabalhar e seja remunerada por isso. Isso levanta o moral. A reconstrução criará muita oportunidade de trabalho.

Dificuldades?
Sim, claro. Nosso maior problema, nesse momento é dinheiro. Queremos pagar as pessoas, não temos dinheiro e nem bancos. Um outro problema também é a falta de combustível. Com relação à água, estamos nos virando, temos nossa própria fonte aqui na Viva Rio e recebemos doações do Brasil. Mas combustível e dinheiro, nossa... Com dinheiro conseguiríamos estimular trabalho. Só a quantidade de entulhos aqui, nossa, geraria muito trabalho retirá-los daqui. O cenário está próximo de "O Exterminador do Futuro", sabe? Tudo totalmente destruído. Tem muito trabalho aqui... trabalho pra muita gente e que pode render, mas não tem como pagar as pessoas...

Quantas pessoas estão abrigadas aí?
Dentro do nosso centro, 1.600 pessoas. Mas acabamos assumindo o cuidado das tendas que estão nos arredores, ou seja, multiplica esse valor por dez.

Fonte: Terra

sábado, 16 de janeiro de 2010

Sobre o Haiti e suas provações coletivas


Haiti
Originally uploaded by Andrew.gd.

Lendo sobre as noticias do Haiti via twitter encontrei uma manchete que me chamou a atenção, despertando a curiosidade:


Iniciando a leitura encontrei duas expressões que me assombraram tanto quanto o sismo ocorrido naquela região... "Papa Doc" e "Tontons Macoutes".

Iniciada a pesquisa na internet, maior foi meu espanto. Trata-se de um ditador e uma milicia (respectivamente) criada e posteriormente continuada pelo seu filho "Baby Doc", onde implantaram o terror naquela região em meados decada de 60, perseguindo Bispos e representantes religiosos (contrários aos seus pensamentos), extorquindo o povo, modificando a constituição e instituindo o governo vitalicio, e para finalizar, conclamando-se Deus.

Numa tentativa de estabelecer a ordem no dia 30 de abril de 2004 houve a deposição de Jean-Bertrand Aristide pela MINUSTAH (Missão das Nações Unidas para a estabilização no Haiti) comandada pelo Exercito Brasileiro, ficando lá até os dias atuais.

Mas não foi somente uma iniciativa, existiram 4 outras tentativas anteriores a este proposito com a participação de outros paises (além do Brasil) como:

Argentina, Benim, Bolívia, Canadá, Chile, Croácia, Equador, Espanha, França, Guatemala, Jordânia, Marrocos, Nepal, Paraguai, Peru, Filipinas, Sri Lanka, Estados Unidos e Uruguai.

Portanto, penso que este último evento natural fica minorizado dada a crueldade praticada neste período por pessoas ambiciosas e envaidecidas pelo poder. Não quero com isso diminuir o apoio as vítimas, mas sim enfatizar o auxilio aos irmão daquela região, e relembrando a Introdução do Livro dos Espíritos (Allan Kardec) pag. 30:

“Deus é eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom".

Pense nisso e ampare da melhor maneira (que lhe for possivel) aqueles que pedem auxilio.

Fiquem com Deus, seguindo os passos de Jesus Cristo, nosso Mestre.

Abraço.

Leia mais sobre o assunto em:





sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

EUA arrecadam mais de US$ 10 milhões por SMS para Haiti


helping Haiti
Originally uploaded by ajax8055.

Doações por celular chegaram a 10 mil mensagens por minuto.
Americanos contribuem com US$ 5 ou US$ 10 por SMS.

Usuários de celular nos Estados Unidos contribuíram com mais de US$ 10 milhões para ajudar as vítimas do terremoto no Haiti por meio de mensagens de texto, no que é considerado uma resposta tecnológica sem precedentes a um desastre natural.

Cobertura completa: terremoto no Haiti

A Mobile Giving Foundation chamou o ocorrido de um "recorde de doações móveis" na arrecadação de fundos para uma só causa. As doações continuam aumentando rapidamente, segundo a fundação, com aparições do ex-presidente Bill Clinton e de outros políticos na TV pedindo que o povo norte-americano contribua.

Jim Manis, presidente-executivo da fundação que está ajudando a administrar as doações por celular, disse que recebem até 10 mil mensagens de texto por segundo. A fundação afirmou que já foram doados mais de US$ 10 milhões.

Portadores de celular podem doar entre US$ 5 e US$ 10 para o Fundo do Terremoto no Haiti Yele, do músico Wyclef Jean, nascido no Haiti, ou para a Cruz Vermelha Norte-Americana enviando um SMSpara um determinado número. A doação é então cobrada na conta de telefone do usuário.

Segundo a Cruz Vermelha, mais de 8 milhões de dólares dos 37 milhões que arrecadou para o Haiti vieram de doações via celular. As contribuições também estão sendo incentivadas por sites populares como o Facebook, onde os usuários pedem que sejam feitas mais doações por celular.

Fonte: G1

Derrube dez mitos sobre sua saúde


Manos de médico
Originally uploaded by Arantxata.

Quantas vezes ouvimos de nossos avós que seria necessário esperar ao menos uma hora após o almoço para mergulhar no mar ou na piscina? Os mais zelosos proibiam até o banho depois das refeições. Em ambos os casos, havia o receio de uma congestão digestiva. Não existem, porém, estudos que sustentem esses medos. Essas e outras "lendas" reproduzidas exaustivamente pela tradição popular são esclarecidas no livro Não Engula o Chiclete! – Mitos, Verdades e Mentiras Descaradas Sobre o Corpo e a Saúde (WMF Martins Fontes, 232 págs., 34,50 reais). Na obra, os pediatras americanos Aaron Carroll (leia entrevista com o médico) e Rachel Vreeman apresentam 87 crendices, e as desmistificam a partir do cotejamento com as pesquisas científicas. Em alguns casos polêmicos, ressalvam os autores, a posição adotada é a mais aceita pelos especialistas.

Fonte: Veja

França pede perdão da dívida externa do Haiti


Haití
Originally uploaded by camilo tinjaca.

A ministra da Economia francesa, Christine Lagarde, afirmou hoje que a França pedirá o perdão da dívida que o Haiti tem com o Clube de Paris.

Em julho do ano passado, o Haiti tinha uma dívida externa de US$ 1,885 bilhão, dos quais US$ 214,8 milhões é devido aos países-membros do Clube de Paris, que reúne os principais Estados credores do mundo.

A dívida com a França era de 58 milhões de euros (US$ 83,5 milhões), mas Paris decidiu perdoar 4 milhões de euros (US$ 5,7 milhões) após o terremoto que assolou o país, disse a ministra, em entrevista coletiva.

A iniciativa da ministra francesa pode servir para acelerar uma decisão já tomada pelo Clube de Paris em julho do ano passado, quando seus membros decidiram iniciar o processo de anulação da dívida direta com eles contraída pelo Haiti, dentro de uma estratégia para favorecer a luta contra a pobreza.

Além disso, Lagarde disse que entrou em contato com outros países aos quais o Haiti deve grandes quantias, mas que não fazem parte do Clube de Paris, como Venezuela e Taiwan, para que também perdoem a dívida.

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 de Brasília da terça-feira e teve epicentro a 15 quilômetros de Porto Príncipe, a capital do país. A Cruz Vermelha do Haiti estima que o número de mortos ficará entre 45 mil e 50 mil.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro do país, Jean Max Bellerive, havia falado de "centenas de milhares" de mortos.

O Exército brasileiro confirmou que pelo menos 14 militares do país que participam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto.

A brasileira Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, ligada à Igreja Católica, também morreu no tremor.

Diferente do número do Exército, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, aumentou hoje o número de mortos para 17 - considerando as mortes de Luiz Carlos da Costa, funcionário da ONU, e de outro brasileiro que não identificou -, segundo informações da "Agência Brasil".

Fonte: Terra

Cuba autoriza voos americanos para ajuda ao Haiti, segundo EUA

O Governo de Cuba autorizou os voos de aviões americanos no espaço aéreo cubano em missões de evacuação de desabrigados e socorro ao Haiti, informou hoje a Casa Branca.

Os EUA acreditam que a autorização do Governo de Cuba reduzirá em 90 minutos os voos a partir da base naval americana em Guantánamo até a Flórida.

Entre Estados Unidos e Cuba, já existe um acordo que permite sobrevoar o espaço aéreo cubano em casos de emergência médica, mas, agora, os EUA pediram que essa permissão fosse estendida de forma permanente, e Cuba aceitou.

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 de Brasília da terça-feira e teve epicentro a 15 quilômetros de Porto Príncipe, a capital do país. A Cruz Vermelha do Haiti estima que o número de mortos ficará entre 45 mil e 50 mil.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro do país, Jean Max Bellerive, havia falado de "centenas de milhares" de mortos.

O Exército brasileiro confirmou que pelo menos 14 militares do país que participam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto.

A brasileira Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, ligada à Igreja Católica, também morreu no tremor.

Diferente do número do Exército, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, aumentou hoje o número de mortos para 17 - considerando as mortes de Luiz Carlos da Costa, funcionário da ONU, e de outro brasileiro que não identificou -, segundo informações da "Agência Brasil".

Fonte: Terra

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Sobre as catastrofes e os desligamentos coletivos...


HAITÍ-SISMO
Originally uploaded by GuraboLive.com.

Lendo sobre as notícias do terromoto ocorrido no Haiti, fui procurar algo que nos explica-se os acontecimentos a Luz da Doutrina Espírita e encontrei este editorial da Revista O Reformador - Ed. FEB - Março 2005, onde transcrevo na integra:

Provações coletivas e a prática da caridade

Desde o início de seus estudos, que decorreram do seu contato com os fenômenos espíritas, Allan Kardec mostrou interesse pelas questões “relativas aos acontecimentos capazes de acarretar uma transformação social”.
Em diálogo por ele mantido com o Espírito de Verdade, em 12 de maio de 1856*, este informava que a Terra já se encontrava no período em que se verificariam essas transformações, que seriam gradativamente preparadas por acontecimentos parciais. Consultado por Allan Kardec, observou:
“(...) não tendes que temer nem um dilúvio, nem o abrasamento do vosso planeta, nem outros fatos desse gênero, porquanto não se pode denominar cataclismos a perturbações locais que se têm produzido em todas as épocas. Apenas haverá um cataclismo de natureza moral, de que os homens serão os instrumentos.”
Como se observa, o assunto relacionado com a fase de transição em que nos encontramos já vem sendo tratado há muito tempo. Estamos, realmente, no período de transformação da Terra, de Mundo de Expiações e Provas – caracterizado pela manifestação do egoísmo, do orgulho e da violência humanos –, para Mundo de Regeneração, em que os homens, embora ainda longe da perfeição moral, estarão mais conscientes da sua condição de Espíritos imortais, perfectíveis, em processo de evolução e, conseqüentemente, mais dedicados ao seu próprio aperfeiçoamento moral e espiritual. Esta sim, como destaca o Espírito de Verdade, é a grande mudança que se opera no nosso planeta.
As perturbações físicas que acontecem na Terra, por certo continuarão ocorrendo, como sempre ocorreram, provocando provações coletivas ainda necessárias, submetendo os homens a provas e expiações indispensáveis ao processo de aprimoramento moral e de libertação espiritual a que estamos todos destinados.
O ser humano, todavia, diante dessas provações coletivas, já sente a necessidade de movimentar-se no sentido de auxiliar o próximo – individual e coletivamente – e atendê-lo em suas necessidades materiais, morais e espirituais. Estas são as manifestações de caridade e solidariedade que irão caracterizar o Mundo Novo que o homem está construindo, e que já começam a ser vivenciadas na fase de transição em que nos encontramos.

*Allan Kardec. Obras Póstumas. Segunda Parte – Acontecimentos – 12 de maio de 1856. 34. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2004, p. 279-280.

Americanos doam US$ 2 milhões ao Haiti em um dia via mensagem SMS

Cada usuário doou US$ 5 para as vítimas do terremoto.
Twitter ajudou na divulgação das campanhas nos Estados Unidos.

Do G1, em São Paulo

Uma campanha para ajudar as vítimas do terremoto no Haiti por meio de mensagens SMS arrecadou US$ 2 milhões em um dia nos Estados Unidos. O dinheiro será enviado para a Cruz Vermelha.

Para fazer a doação, donos de celular precisavam apenas enviar uma mensagem com a palavra “Haiti” para um número específico. De acordo com reportagem do jornal “The New York Times”, o valor cobrado pelas operadoras era de US$ 10. A campanha foi organizada pela empresa MGive juntamente com a Cruz Vermelha e a Casa Branca.

Além dos celulares, o serviço de microblog Twitter também ajudou na arrecadação de fundos para os haitianos. Mensagens de ajuda ao país apareceram entre os tópicos mais comentados do site, que incluíam a campanha da ajuda via SMS. Segundo o “The New York Times”, a organização YELE, do cantor haitiano Wyclef Jean, também utilizou as mensagens de celular para arrecadar US$ 5 por usuário às vítimas no Haiti.

Fonte: G1

Pesquisa identifica ligação entre câncer e estresse

Pesquisadores chineses e americanos demonstraram cientificamente pela primeira vez que existe uma relação direta entre o câncer e o estresse. A pesquisa está publicada na edição desta quarta da revista Nature, onde os cientistas afirmam que as células atingidas pelo estresse podem emitir sinais que induzem à geração de tumores que afetam às células sadias vizinhas.

Apesar de ter sido realizado com moscas de frutas, o estudo indica que os mesmos genes e as mesmas sequências biológicas envolvidas neste processo estão presentes nos seres humanos.

Até agora, se sabia que as inflamações crônicas, causas-chave do estresse, estão associadas com o crescimento dos tumores em doentes de câncer e alguns especialistas argumentam que as emoções negativas, os hormônios do estresse, as inflamações e o câncer podem estar interrelacionados, embora não exista uma evidência clara.

Também há um consenso que as mutações genéticas causadoras do câncer só afetam individualmente as células. Mas este estudo indica que nem sempre é assim, já que diferentes mutações em células distintas podem colaborar, entre estas na geração Y, no desenvolvimento dos tumores.

Os autores do estudo centraram o trabalho na atividade de dois genes mutantes causadoras de cânceres. Um deles é o RAS, que está relacionado com 30% dos casos da doença, e o outro é um gene supressor dos tumores que quando se apresenta de maneira defeituosa propicia o desenvolvimento do câncer. Nenhum gene RAS mutante e nenhuma versão mutante do gene supressor podem por si só causar um câncer.

Os pesquisadores estudaram as moscas das frutas que levavam as mutações genéticas e descobriram que uma célula que tem só o RAS mutante pode gerar um tumor maligno se envolvida a uma célula próxima com um gene supressor defeituoso.

A conclusão é que o estresse era o fator determinante que unia a as células, gerando proteínas marcadoras, para poder passar de célula para célula.

O professor Tian Xu, da University of Connecticut School of Medicine (EUA), principal responsável pela pesquisa, manifestou que "são más notícias", porque "há uma grande variedade de condições que podem desencadear o estresse físico e emocional, assim como as infecções e as inflamações".

Definitivamente, o estudo demonstra que é mais fácil do que se pensava que o câncer se arraigue no organismo humano, após constatar a maior probabilidade das mutações atingirem várias células distintas do que em uma só.

A boa notícia é que também identifica uma nova via potencial para deter o câncer, se for possível bloquear a origem do sinal de estresse que recebem as células.

"Um melhor entendimento do mecanismo subjacente na geração do câncer sempre oferece novos instrumentos para combater a doença", destacou o professor Wu.

Fonte: Terra

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Consumismo é incompatível com saúde do planeta


P a r a d i s e
Originally uploaded by Renata Diem.

A luta contra o aquecimento global passa por uma renúncia ao consumismo para favorecer assim as iniciativas compatíveis com um desenvolvimento sustentável do planeta, segundo um relatório publicado nesta terça-feira pelo Worldwatch Institute, com sede em Washington.

"Temos visto esforços para combater a crise mundial provocada pela mudança climática nos últimos anos, mas proceder a essas mudanças tecnológicas e políticas e manter uma cultura centrada no consumismo e no crescimento não é algo compatível", afirmou Erik Assadourian, do Worldwatch Institute.

As despesas com o consumo nos países industrializados compreendem cerca de 70% do Produto Interno Bruto. Segundo o relatório anual da instituição, a população mundial consumiu US$ 30,5 trilhões em bens e serviços em 2006, um aumento de 28% em dez anos. Esse forte crescimento do consumo implica uma explosão da extração de matérias-primas e do consumo de energia.

Segundo ainda a instituição, os 500 milhões de pessoas mais ricas do mundo (cerca de 7% da população) são responsáveis por 50% das emissões de CO2, contra 6% dos três bilhões mais pobres.

Fonte: Terra

Sobre o Aborto...


Noa, cute baby :)
Originally uploaded by titlap.

Em reportagem da Veja (web)...





Mas nem por isso devemos afrouxar a cobrança ao poder público. Para isso coletei alguns trechos sobre o assunto:




Livro dos Espiritos - PARTE 2ª - CAPÍTULO VII


Questão 358. Constitui crime a provocação do aborto, em qualquer período da gestação?


Resposta: “Há crime sempre que transgredis a lei de Deus. Uma mãe, ou quem quer que seja, cometerá crime sempre que tirar a vida a uma criança antes do seu nascimento, por isso que impede uma alma de passar pelas provas a que serviria de instrumento o corpo que se estava formando.”



Livro: Nos domínios da mediunidade (Andre Luiz) Cap. 10 - pag. 44 a 45

"Moça de notável pro­cedência, possui belas aquisições culturais, entretanto, sempre se comporta de modo chocante, evi­denciando desequilíbrios ocultos. A princípio, com­pareciam a insatisfação e a melancolia ocasionando crises de nervos e distúrbios circulatórios. Doente, desde a puberdade, em vão opinaram clínicos de renome sobre o caso, até que um cirurgião, cren­do-a prejudicada por desarmonias da tireóide, sub­meteu-a a delicada intervenção, da qual saiu com seus padecimentos inalterados. Logo após, conhe­ceu o cavalheiro sob nossa observação, que a des­posou convencido de que o matrimônio lhe cons­tituiria renovação salutar. Ao invés disso, porém, a situação se lhe agravou. A gravidez cedo se verificou, consoante a planificação de serviço, tra­çada na Vida Superior. Nossa irmã doente deveria receber o perseguidor nos braços maternos, afagando-lhe a transformação e auxiliando-lhe a aqui­sição de novo destino, mas, sentindo-lhe a apro­ximação, recolheu-se a insopitável temor, adiando o trabalho que lhe compete. Impermeável às su­gestões da própria alma, provocou o aborto com rebeldia e violência. Essa frustração foi a brecha que favoreceu mais ampla influência do adversá­rio invisível no círculo conjugal. A pobre criatura passou a sofrer multiplicadas crises histéricas, com súbita aversão pelo marido. Principalmente à noi­te, é colhida, de assalto, por fenômenos de sufo­cação e de angústia, amargurando o consorte de­solado. Médicos foram trazidos, no entanto os hipnóticos foram empregados em vão... Em fran­ca demência, a enferma foi conduzida à casa de saúde, todavia, a insulina e o electrochoque não lhe solucionaram o problema. Presentemente, atra­vessa um período de repouso em família, deliberando o esposo experimentar o concurso do Espi­ritismo."




Livro: As Leis Morais (Rodolfo Calligaris) - Cap. 17 - pag. 37

"Ouçamos, agora, o que a respeito nos diz um médico do Mundo Maior: A mulher que o promove ou que venha a coonestar seme­lhante delito é constrangida, por leis irrevogá­ veis, a sofrer alterações deprimentes no centro genésico de sua alma, predispondo-se geral­mente a dolorosas enfermidades, quais sejam a metrite, o vaginismo, a metralgia, o enfarte uterino, a tumoração cancerosa, flagelos esses com os quais, muita vez, desencarna, deman­dando o Além para responder, perante a Jus­tiça Divina, pelo crime praticado. (André Luiz: “Ação e Reação”)"

Pense nisso e repasse a todos quantos forem possivel.

Abraço.

Tirinhas da Mariana

Tirinhas do Cabeça Oca